quinta-feira, 27 de abril de 2017

13 reasons why | Jay Asher



13 motivos levaram Hannah a cometer suicídio. 13 pessoas foram responsáveis por isso, Clay é um deles, desencadeando todos os seus medos e receios, o garoto que era apaixonado por ela descobre seus motivos e segredos para tal atitude, porém tarde demais.

Eu sei que você já se colocou em várias situações hipotéticas, pensando que se tivesse tomado outra atitude, as coisas poderiam ter tomado outro rumo. O famoso “E se...?”. Fazemos isso inconsequentemente. É normal e algumas vezes, são coisas pequenas. Mas e quando isso interfere a vida de outra pessoa? Aparentemente não compreendemos o impacto das nossas atitudes (ou a falta delas)

A história inteira paira por esse pensamento. Quais atitudes poderiam ter sido tomadas para salvar a vida de Hannah? Mais uma vez: “E se...?”.

“Este exato momento, me sinto perdida, eu acho. Meio vazia. – Com o quê?
Faça ela contar. Continue fazendo perguntas, mas faça ela contar.” (Fita 7: Lado A)

"Os 13 Porquês", do autor Jay Asher é interessante, criativo, imprevisível e que traz um misto de sentimentos como tristeza, choque, compaixão e curiosidade saltarem das páginas durante a leitura.

A série da Netflix está servindo como um alerta e, graças a Deus, centenas de pessoas estão abrindo os olhos, centenas de pessoas estão pedindo ajuda. Vamos parar de pensar no “E se...”, vamos ser mais imediatos e agir. Criemos a empatia diariamente e seremos mais felizes uns com os outros.

Hannah é uma personagem de um livro, mas podem existir milhares de Hannah’s pelo mundo. #NaoSejaUmPorque

“Ninguém sabe ao certo o impacto que tem na vida dos outros. Muitas vezes não tem noção” (Fita 4: Lado A).

Veja a publicação também no instagram: @umamordelivro

sexta-feira, 14 de abril de 2017

SÉRIES!

Quase nunca falo sobre série por aqui, não é mesmo? Recentemente vi uma série e estou apaixonada por ela. Com esse pretexto de citar ela aqui, resolvi responder algumas perguntas sobre séries que assisto ou já assisti. Tipo uma TAG! :)



Qual série...

... estou assistindo atualmente: 

Powerless

Uma série de comédia ambientada no universo da DC Comics. Tem Vanessa Hudgens (High School Musical), Danny Pudi (Community), entre outros no elenco. Vi dois episódios na Warner (passa domingo às 22:55h ou terça às 13:51h), pretendo acompanhar a série. Ela segue o gênero sitcom e de fato, não poupa piadas sobre o Batman e o universo entre vilões e super-heróis.

"Em um mundo em que a humanidade precisa lidar com os danos colaterais de super-heróis e supervilões, Emily Locke começa seu primeiro dia de trabalho como diretora de pesquisa e desenvolvimento da Wayne Security, uma subsidiária da Wayne Enterprises que se especializa em desenvolver produtos para que os indefesos cidadãos se sintam um pouco mais seguros. Cheia de confiança e grandes ideias, Emily rapidamente aprende que suas expectativas são muito maiores do que as de seu novo chefe e colegas de trabalho. Cabe a ela liderar a equipe em direção ao seu pleno potencial e à percepção de que não é preciso superpoderes para ser um herói."




... é a favorita do momento: 

Westworld

Assisti por indicação. E me arrependo por não ter visto ela antes. Que série maravilhosa!

"Westworld é um parque temático futurístico para adultos, dedicado à diversão dos ricos. Um espaço que reproduz o Velho Oeste, povoado por andróides – os anfitriões –, programados pelo diretor executivo do parque, o Dr. Robert Ford (Anthony Hopkins), para acreditarem que são humanos e vivem no mundo real. Lá, os clientes – ou novatos – podem fazer o que quiserem, sem obedecer a regras ou leis. No entanto, quando uma atualização no sistema das máquinas dá errado, os seus comportamentos começam a sugerir uma nova ameaça, à medida que a consciência artificial dá origem à "evolução do pecado". Entre os residentes do parque, está Dolores Abernathy (Evan Rachel Wood), programada para ser a típica garota da fazenda, que está prestes a descobrir que toda a sua existência não passa de bem arquitetada mentira."

... sempre vai ter um espaço no meu coração: 
f.r.i.e.n.d.s (amo sitcoms)



... que muitos gostam, menos você: 

American Horror Story

Sou medrosa. Ponto.

... com meu personagem favorito:

Cristina Yang, Derek Shepherd (Grey's Anatomy)
Madeline Martha Mackenzie (Big Little Lies) * leia o livro e você vai gostar muito mais dela!




... com melhor trilha sonora: 

Westworld.

Por Ramin Djawadi.

Big Little Lies 

A playlist da Chloe rendeu! Cada episódio foi uma música para colocar na playlist.


 ... quero começar: 
Outlander
Santa Clarita Diet (se eu tiver estômago.)

... estou ansiosa para assistir:
13 Reasons Why
Westworld (segunda temporada) VEM 2018!
Game of Thrones: apesar da série já estar chegando no final, eu tenho sim vontade de conhecer o universo. Só não sei explicar porquê não comecei ainda.

... mais antiga que eu vi: 
The O.C. (em 2003!)

... com os melhores finais de temp.: 
Grey's Anatomy

... finalizei: 
Revenge (4 temp.)
Big Little Lies (1 temp.)

... abandonei: 
The Vampire Diaries

... quero voltar a assistir:
Drop Dead Diva

... com melhor fotografia/figurino:

Westworld

A série possui dois cenários principais. A sede da Delos, com tons neutros e bem sofisticados. O parque temático no qual estão inseridos os  androides/anfitriões que simula o Velho Oeste já tem um tom amarelado e os cenários são incríveis. É captar essa diferença entre a sofisticação e modernidade da Delos contrastando com rústico do Velho Oeste que me faz escolher como melhor fotografia.




... com cenas marcantes:
GREY'S ANATOMY. SEM DÚVIDA!

... com melhor frase de efeito/bordão:
 "Bazinga!" (TBBT),
"These Violent Delights Have Violent Ends" (Westworld e sua menção ao Romeu e Julieta),
"Seriously" (Grey's),
"How you doin'" (Friends)

... eu gostaria de fazer parte: 
FRIENDS. <3


* gifs retirados do site Giphy

terça-feira, 21 de março de 2017

Novidade | Andrée Chedid pela Martin Claret

"Logo que Maxime anunciara a intenção de deixar o cargo de funcionário público para comprar  o Carrossel, sua família soltou os  cachorros em cima dele. Deixar um emprego tão seguro para se jogar numa aventura tão medíocre revelava, para eles, a mais pura loucura." (Trecho de O Menino Múltiplo).










Andrée Chedid  foi poeta, romancista, novelista e dramaturga, nasceu no Egito, em 1920, e lá publicou sua primeira coletânea de poemas: On the trails of my fancy. 

Mudou-se para Paris em 1946 e três anos depois lançou a coletânea Textes pour une figure a primeira obra em sua nova pátria e a que anuncia mais de 40 obras que publicaria. A autora teve dois de seus romances adaptados ao cinema – Le sixième jour  em 1986 com a direção de Youssef Chahine e L’autre em 1991 pelas mãos de Bernard Giraudeau – e, ao longo de sua carreira, foi contemplada com mais de vinte prêmios literários, dentre eles o Goncourt de Nouvelle em 1979, com Les Corps et le temps, e o de Poesia em 2002, pelo conjunto de sua obra. 

Membro honorário da Academia de Letras do Québec, em 2009 a autora foi condecorada como Oficial da Legião de Honra da França. Em 2011, ela nos deixou.

A Poesia, segundo ela, guia sua obra, que traz temas relacionados à riqueza do ser humano, à defesa do múltiplo, ao rosto e ao amor.

O romance O menino múltiplo será sua primeira obra traduzida em língua portuguesa no Brasil. A obra conta a história de Omar-Jo, filho de pai muçulmano egípcio e mãe católica libanesa, um menino que carrega suas origens no nome e que, durante a guerra do Líbano, em 1987, encontra um destino cruel quando um carro-bomba leva seus pais e seu braço. E o menino de doze anos é enviado pelo avô a Paris. E é lá que ocorre o encontro do Oriente com o Ocidente, do menino-duplo com as luzes, as cores, os sons e os movimentos do Carrossel de Maxime, um senhor rabugento e proprietário da atração que, pouco a pouco, reencontra com o menino, então múltiplo, a alegria de viver. Alteridade, amor e tolerância fazem parte do enredo, poético. A ser lido em voz alta. (Fragmentos do texto retirados da editora).

O livro será lançado pela editora Martin Claret e ainda não temos uma data definida, mas esperamos que seja breve, não é mesmo?

Para ficar de olho no lançamento, acompanhe as redes sociais da editora.
Instagram: @editoramartinclaret | Facebook: Editora Martin Claret