sábado, 2 de abril de 2016

Resenha | E NÃO SOBROU NENHUM (Agatha Christie)

Uma ilha isolada e um anfitrião misterioso;
Dez pessoas comuns e diferentes entre si e é o passado de cada um que os une nessa história;
Ameaças, desconfianças e alianças entre os convidados;
Um mistério aparentemente sem solução.





O cenário principal dessa história é a isolada Ilha do Soldado, dez pessoas são convidadas para uma estadia na ilha através dos mais diversos convites, a maioria deles envolve o anfitrião Mr. Owen.

Quando todos os convidados chegam à ilha, são recebidos pelo casal de mordomos Rogers e Mrs. Rogers. Sem a presença de Mr. Owen, todos se instalam nos seus respectivos quartos.

Após o jantar, todos escutam a seguinte frase:

"Senhoras e Senhores! Silêncio, por favor!" 

(Em alto e bom som)

“Os senhores e as senhoras são acusados dos seguintes crimes”

Entre os dez, TODOS são acusados por algum crime que cometeram em um determinado momento de suas vidas.

Incrédulos e silenciosos, por pouco tempo, logo as reações começam: Rogers deixa a bandeja de café cair e sua esposa desmaia para logo mais a revolta abater todos ali em busca de respostas... De quem é aquela Voz?

A discussão para tentar entender tudo aquilo começa, mas o pior já vai acontecer...

Em poucas páginas, conhecemos a primeira vítima da história, ela morre engasgada, como diz no poema infantil...

“Dez soldadinhos saem para jantar, a fome os move; 
Um deles se engasgou e então sobraram nove.”

Após a terceira morte, fica claro que aquilo tudo é obra de um assassino e com uma detalhada revista na ilha, fica claro que não tem mais ninguém ali, exceto eles. O assassino está entre eles. É um dos 7.  A dúvida e desconfiança recaem em cada um ali. Todos são suspeitos. Todos são culpados. Resta saber quem é... Até não restar nenhum.


Agatha Christie foi genial, se ela é conhecida como a “Rainha do Crime”, consigo entender bem o motivo. O clima de suspense nesse livro é INCRÍVEL. Não dá para largar o livro até descobrir o responsável por tanta astúcia e inteligência (é preciso admitir).

Impressionante também é como a autora conseguiu trabalhar com o psicológico dos personagens em um enredo tão complexo e sem pontas soltas.

E o final? Ah... Que final. Não consegui desgrudar do livro até a última linha.

Para quem nunca leu Agatha Christie, LEIA AGORA. E comece por “E não sobrou nenhum”.

NOTA 6 DE 5 (porque merece). Claro que favoritei!


"Um soldadinho fica sozinho, só resta um; 
Ele se enforcou

E não sobrou nenhum."

Nenhum comentário:

Postar um comentário