domingo, 26 de abril de 2015

TBR Book Jar: o que é? Funciona?

 
O que é essa Book Jar? Pra quê serve? Como funciona?
 

Decidi algum tempo atrás fazer minha Book Jar, mesmo sabendo que não gosto de ler um livro por obrigação (vocês vão entender o porquê), acabei entrando nessa brincadeira e resolvi fazer. Gostei do resultado, não é difícil de fazer e é um charme. E claro que pretende diminuir a pilha de livros que juntamos na estante. É um fato, compramos muitos livros no calor do momento (e das promoções) e muitas vezes os deixamos de lado na estante (confessem!). 

TBR Book Jar  - "to be read - " - em uma tradução livre, significa "jarra de livros para ler" e a gente utiliza ela da seguinte forma: você coloca em vários papéis - coloridos ou não - os títulos de livros na sua estante que estão esperando para serem lidos. Sim, o ideal é que você coloque livros que estão na sua estante, somente. E não aqueles emprestados dos amigos, biblioteca... Por ser um sorteio, pressupõe que eles sejam lidos à longo prazo, certo? E se você comprou mais livros, tá liberado colocar mais papéis lá dentro. Coloca tudo lá dentro, dá uma misturadinha básica e sorteia um papel. O livro que saiu, deve ser lido, e nada de sortear outro até sair aquele que você quer ler (nada de trapaça!). Básico né?

A vantagem disso, é que você pode finalmente ler aquele livro que está lá... Implorando na estante para ser lido. A desvantagem, no entanto, é que nem sempre a gente está em um clima bom para ler o tal livro sorteado. E aí a leitura vira "obrigação" e acaba não atingindo a proposta da jarra, se tornando chata. Um bom exemplo, é o A Culpa é das Estrelas, comprei ele na febre do John Green, mas não li de imediato, o motivo foi o tema abordado no livro, não estava no clima e nem a fim de chorar. Então ficou lá na estante e só li quando realmente estava disposta (mas agora já tem resenha dele aqui).

Se você é desses que só lê quando tá com vontade, precisa entrar no clima do livro, estar envolvido com ele: faça a Book Jar de qualquer jeito. Ela vira um item de decoração no final das contas, hahaha... Até porque você pode montar ele do jeito que você quiser, de acordo com suas características, combinando com sua estante, e por ai vai! É só soltar a imaginação, eu confesso que não uso tanto a minha Book Jar. Mas eu gostei do resultado dela. 

Creio que a montagem dela é muito auto-explicativa, não é necessário falar muito sobre, porém, quero deixar uma dica, além de poder usar e abusar da sua criatividade na personalização da sua jarra, você ainda pode variar na utilização dela. Colocar o título da obra pode ser muito específico, então coloque por gênero ou autor! Se você sortear o gênero "fantasia", aí você vai lá na sua estante e escolhe qualquer livro que faça parte do tema. Também funciona e nem é tão rigoroso :)
 
 Um grande beijo,
Tamyres!

terça-feira, 21 de abril de 2015

Resenha | O Herói Perdido - Rick Riordan

Novos e conhecidos personagens do Acampamento Meio-Sangue dividem espaço nesse primeiro volume da série Os heróis do Olimpo. Rick Riordan volta ao universo de Percy Jackson e os Olimpianos com ainda mais aventuras, humor e mistério. Depois de salvar o Olimpo do maligno titã Cronos, Percy Jackson e seus amigos trabalharam duro para reconstruir seu mais querido refúgio, o Acampamento Meio-Sangue. É lá que a próxima geração de semideuses terá de se preparar para enfrentar uma nova e aterrorizante profecia. Os campistas seguirão firmes na inevitável jornada, mas, para sobreviver, precisarão contar com a ajuda de alguns heróis, digamos, um pouco mais experientes - semideuses dos quais todos já ouvimos falar... e muito.


Não resisto a um livro do Rick Riordan. Adoro me envolver no tema mitologia. E na série "Os Heróis do Olimpo" a gente vê novas histórias. Além da mitologia grega. surge agora de Roma!

Começamos com novos personagens, um Jason desmemoriado, uma Piper apaixonada e um Leo atrapalhado, mas carismático. Já no início, já temos bastante ação. Jason procura entender como ele foi parar em um ônibus junto com Piper e Leo que afirmam que eles são amigos até que eles são atacados por Espíritos da Tempestades durante um passeio escolar e também descobrem que o treinador Hedge nada mais é que um bode, ops, sátiro.

Paralelamente, Percy sumiu, e Annabeth parte em sua busca, mas encontra Jason, Piper e Leo e os leva para o Acampamento Meio-Sangue. Para não perder o costume, claro que tem aquela profecia né:

"Sete meios-sangues responderão ao chamado.
Em tempestade ou fogo, o mundo terá acabado.
Um juramento a manter com um alento final.
E inimigos com armas às Portas da Morte afinal."

Sendo assim, os três novos campistas são reclamados pelos seus pais e escolhidos para partir em missão em buscar da rainha Hera que foi sequestrada e para impedir que algo ainda pior que a Guerra dos Titãs vista no último livro do Percy Jackson e os Olimpianos aconteça.

Apesar de HDO ser uma espécie de continuação de PJO e parecer que o autor só quer enrolar depois do sucesso da primeira série, o que me encanta mesmo é o conteúdo e a pesquisa. O primeiro livro da série Os Heróis do Olimpo é muito mais rico em detalhes. Vemos a Medeia, o Rei Midas, Gaia, Porfírion e como introduz a mitologia Romana, conhecemos o outro lado dos deuses, como Juno, Júpiter, Vênus, Vulcano... A história da adaga Katoptris de Helena, Jasão e o próprio surgimento do Acampamento Romano, que acredito, vai aparecer mais nos próximos livros. Em "O Herói Perdido" tudo ainda é uma descoberta. A história é contada em terceira pessoa, mas alterna o ponto de vista dos novos personagens entre os capítulos. E cada um possui sua personalidade e particularidades. Ninguém é o principal ou o mais forte. Todos eles são os heróis e os três do sete da grande profecia.

Quem me acompanha no instagram, sabe que só tenho os dois primeiros volumes da série e disse que não ia correr com a série justamente para poder completar ela. Mas ficou difícil resistir à continuação com o final, fiquei super curiosa com a última frase de Jason!!! Opaa! Não tem jeito, amo esse tipo de livro, Os Heróis do Olimpo já me conquistou! E estou ansiosíssima para continuar com O Filho de Netuno.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Resenha | Sempre Foi você - Ana Lemos


SINOPSE: Quando a brasileira Lucy Somel passou a morar em Nova York ela tinha apenas uma meta: concluir a faculdade de Direito e trabalhar ao lado de sua grande amiga, Anna. O amor parece não caber em seu projeto de vida, considerando os poucos, breves e decepcionantes relacionamentos.No entanto, esta linda e inteligente mulher será surpreendida por uma forcinha do destino ao conhecer seu orientador para o trabalho de conclusão do curso. Marco Salvatore é uma lenda dos Tribunais, talento que lhe garantiu a fama de ser um dos melhores advogados da cidade, porém, relacionamentos amorosos também não estão em seus planos. O desejo entre os dois é imediato, mas será o suficiente para fazer Marco mudar de ideia e iniciar um relacionamento duradouro? Ou fazer Lucy acreditar que pode viver um grande amor? (SKOOB)

Semana passada chegou o livro da Ana Lemos aqui, Sempre foi Você, o primeiro livro da trilogia Amores Traçados. E... Estou encantada com a capa. Se eu já estava in love pelas fotos do livro, imagina pegando e folheando ele? Ahhh como leitor(a) é bobo hahaha. Como a semana foi um pouco apertada na faculdade, eu demorei um pouco mais para ler. Entretanto, porém, todavia, eu andava com o livro pra cima e para baixo e qualquer intervalo eu voltava para o romance ardente de Lucy Somel e Marco Salvatore. Sim, "romance ardente". É o meu primeiro contato com esse tipo de livro com um toque de erotismo. Não tenho nenhum tipo de parâmetro, como Cinquenta Tons de Cinza ou qualquer livro da Megan Maxwell (fãs do Gideon Cross, vocês tem algo em comum com a protagonista, é o favorito dela). 

Ah, no final da página coloquei um vídeo com o clipe do Michael Bublé, Everything. É a música que embala o romance do Marco e da Lucy, depois de escutá-la fez muito sentido, a música é linda, a voz dele é linda e super combinou. Se quiserem, podem escutar também!


"O negócio é o seguinte, amigas, anotem aí: o segredo é a alma do negócio. Você não pode revelar tudo nos primeiros encontros. Sempre tem que haver um fator surpresa para manter a chama acesa." (pág. 254)

Tudo começa quando Lucy ainda no Brasil, se torna uma grande amiga de Anna, a nova americana na no ensino médio. Passa o tempo, as duas decidem que querem se tornar grandes advogadas. Tamanha é a convivência e companheirismo das duas, Lucy - que já faz parte da família de Anna - tem a permissão de tornar um dos seus grandes sonhos realidade e estudar no exterior. Passados os anos estudos (contados bem rápidos no livro) elas enfim chegam ao último ano da faculdade, ao "TCC" e a tão querida e sonhada formatura. Mas nesse meio tempo, Lucy precisa encarar seu orientador da monografia. Concentrada e focada nos estudos, tudo teria dado super certo se o tal Dr. Marco Salvatore não fosse jovem, lindo, sedutor, charmoso e italiano (Mamma mia!). A conexão e desejo dos dois é imediata e mútua. 


" (...) Isso é maravilhoso, porque muita gente jamais tem a chance de viver um grande amor." (pág. 136)

Ainda que o livro tenha um apelo sexual, existe um amor muito forte entre os personagens. Embora tudo tenha acontecido muito rápido e intenso. Mas aí que tá a coisa, onde o título do livro fez sentido para mim. Sempre foi você. Sempre foi eles. Foi um amor à primeira vista , é um romance verdadeiro misturado com uma sensualidade, desejo e luxúria. 


"(...) Não tenho nenhuma dúvida a respeito disso, desde o dia em que percebi que estava apaixonado por você, Lucy. Sempre foi você!" (pág. 248)

Fiquei curiosa com o final, gostei que o Andrew teve um capítulo só dele, mas achei que podia ter algumas páginas a mais explicando seus sentimentos e deixar transparecer mais um pouquinho do que podemos esperar do próximo livro (ok, talvez eu estou pedindo demais hehehe). Andrew é irmão da Anna e também da Lucy, e é um mistério a parte, já estou super curiosa e ansiosa para o segundo volume da trilogia. Também achei que faltou um capítulo para a Anna, embora a Lucy é a parte mais interessada, ela também merece e teve muita importância na história. Entretanto, isso não foi um fator que atrapalhou a história. Gostei da experiência com a história, que foi uma grata surpresa. Além do belo trabalho da Ana, também devo dizer que me apaixonei pelo trabalho gráfico, como já deixei bem claro nas primeiras linhas da resenha. O livro da Ana Lemos faz parte da Editora Novo Seculo, no selo Talentos da Literatura Brasileira.

E clique aqui, para conhecer um pouco mais sobre a parceira do Um Amor de Livro.





segunda-feira, 13 de abril de 2015

Resenha | Jane Austen - A Vampira - Michael Thomas Ford



SINOPSE: Segundo este livro, a autora de "Orgulho e Preconceito" e outros clássicos do século XVIII não morreu, mas vive hoje numa cidadezinha no interior do estado de Nova York. Dona de uma livraria, vive frustrada por não receber os direitos autorais e ter o reconhecimento de suas obras de sucesso. Em "Jane Austen - A Vampira", ela mudou o sobrenome para Fairfax e sobrevive há 233 anos, porque foi mordida por um vampiro, quando se tornou imortal. Entre romances com o Lord Byron, que também é um vampiro, e tentativas frustradas de publicar um novo livro, Jane Austen, ou melhor, dizendo, Jane Fairfax, envolve o leitor em uma divertida viagem ao universo literário, com personagens de outras histórias, de maneira inteligente e divertida! Título original: "Jane Bites Back". 

     Jane Austen, Charlotte Brontë e Lord Byron não morreram – Eles viraram vampiros e estão em algum lugar por ai! Confesso que eu não sou fã de livros sobre vampiros, mas o livro Jane Austen – A Vampira, do autor Michael Thomas Ford me conquistou, o livro tem tudo que eu gosto de um jeito muito leve e divertido. Confesso também que o título parece uma viagem e tanto, Jane Austen? Uma vampira? Afinal de contas, o que pode vir disso? Paguei para ver e não me arrependi. Achei ele em uma promoção e eu não resisti, comprei, li, e amei!

     A história é criativa, engraçada, irônica, tem romance e ação também, tem tudo minha gente! Jane Austen virou uma vampira e agora é chamada de Jane Fairfax, mora em uma cidade bastante tranquila e é dona de uma livraria. Vive em meio à indignação e frustração, porque ela não pode fazer nada a respeito pelos inúmeros autores e editoras que adaptam suas obras como Orgulho e Preconceito, ela reencontra Lord Byron que tenta seduzi-la novamente depois de uns 200 anos. Por fim, ela consegue que um editor publique um livro seu, ela fica famosa e (ironia?) ela chega a ser comparada com a genial, Jane Austen, mas precisa lidar com uma insistente e maluca Charlotte Brontë a acusando de plágio, já que ela tem com o manuscrito. Me surpreendi bastante, não dava nada para o livro, mas me diverti muito. E quando terminei fiquei com um gostinho de quero mais!

     Além do conteúdo que me surpreendeu, a edição da editora Lua de Papel também é lindíssima, caprichou nos detalhes, as laterais do livro são pretas e dão um charme a mais para ele. No início do livro ainda tem algumas ilustrações darks e sombrias!

Recomendo a leitura.





domingo, 12 de abril de 2015

Parceria | Cinthia Freire



"Cinthia Freire nasceu em São Paulo onde mora com o marido e duas filhas. Formou-se em arquitetura, mas a paixão por história acabou a conquistando de vez, desde então resolveu se dedicar em tempo integral a escrever romances, seu estilo preferido." 

Quem me acompanha no INSTAGRAM, já deve ter visto que eu postei esses quotes lindos né. Eles são do livro da autora Cinthia Freire, Um Novo Amanhecer, seu primeiro livro publicado pela Editora Novo Seculo (Talentos da Literatura Brasileira).

A Cinthia é uma fofa e agora é parceira do BLOG/IG. Estou super feliz, pois me apaixonei pelo livro desde que vi o trabalho da capa e li os quotes no instagram dela (@cinthia_freire_escritora). Promete uma história emocionante, olha só a sinopse:



Um Novo AmanhecerSINOPSE: Giulia está arrasada! Seu namoro chegou ao fim e ela não sabe o que fazer.
Leo está confuso e com medo, seu tempo está acabando e ele não quer magoar sua namorada.
Zyon é um anjo perdido e apesar de saber que está em uma missão na Terra, ele não tem ideia exatamente do que o aguarda.
Em uma tarde chuvosa o caminho dos três se cruzam de forma trágica e comovente.
UMA GAROTA APAIXONADA
UM RAPAZ DOENTE
UM ANJO PERDIDO
Eles serão capazes de lidar com a força do verdadeiro amor?

Tô super curiosa e já estou super ansiosa para ler e postar a resenha aqui! 
(Veja mais sobre o livro aqui no skoob e no facebook).


Ahh, e tem mais, a Cinthia disponibiliza no Wattpad sua mais nova história, "Antes dos Vinte":

SINOPSE: Luana sempre teve uma vida de sonhos, filha única, mimada e rica ela viu seu mundo cor de rosa se desfazer quando seu pai decidiu deixar a família para viver um grande amor, quatro anos se passaram e Luana ainda não conseguiu perdoar seu pai e aceitar sua madrasta, mas tudo muda quando seus pais decidem dar para ela a tão sonhada viagem para a Disney, Luana vai então poder realizar um dos sonhos da sua enorme lista de coisas a fazer antes dos 20, beijar um americano.Pete é um rapaz alto, bonito e beija muito bem e o mais importante… é americano! Tudo o que Luana queria.O que ela não sabia era que esse rapaz misterioso vai ajuda-la a realizar muitos outros desejos dessa sua lista. Mas antes disso ela terá que descobrir quem ele realmente é e aprender que a vida nos guarda muitas surpresas.


Para ler, é só acessar o link: http://w.tt/168jnxH


Toda sexta-feira tem um capítulo novo!!

Resenha | A Culpa é das Estrelas - John Green



SINOPSE: Hazel foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial, livro cujo autor deixou muitas perguntas sem resposta. Essa era sua rotina até ela conhecer Augustus Waters, um jovem de dezessete anos que perdeu uma perna devido a um osteosarcoma, em um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Como Hazel, Gus é inteligente, tem senso de humor e gosta de ironizar os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Com a ajuda de uma instituição que se dedica a realizar o último desejo de crianças doentes, eles embarcam para Amsterdã para procurar Peter Van Houten, o autor de Uma aflição imperial, em busca das respostas que desejam.


Imagem retirada do Google

Me senti super atrasada terminando de ler A Culpa é das Estrelas recentemente. Isso aí, ele estava na minha estante por muito tempo, eu peguei para ler e deixei de lado e só uns dois dias atrás que de fato peguei para ler e finalmente terminei. O caso é que não estava muito no clima da leitura e se eu tivesse terminado na época, talvez eu não teria gostado de livro. 

Me emocionei com a história ao longo da leitura, me emocionei com a Hazel e os seus pensamentos. Mas quanto a final, eu meio que já esperava algo assim, quando você demora a ler um livro considerado "modinha" você acaba lendo o que não deve. Li muitos spoilers, infelizmente. Mas não tirou o encanto que o livro tem. Achei lindinho e me emocionei, mas não me fez ter vontade de ler outro livro do John Green imediatamente (outro efeito de demorar tanto a ler ele, foi que que já vi opiniões dos outros livros também). O que me fez pegar o livro e finalmente terminar ele, foi o o filme, eu vi um pedaço (uma parte de quando eles estão em Amsterdã) e bateu a curiosidade.


Pois então vamos para as considerações da história afinal... 

Uma história bonita, comovente com uma boa mensagem. Conhecemos Hazel Grace, uma garota diagnosticada com câncer que acaba conhecendo Augustus Waters no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Dois jovens muito inteligentes e peculiares, eles são especiais, se entendem e se completam, viram amigos até se apaixonarem. Também não posso deixar de falar do Isaac, ele também possui seus dramas, ficou cego, e para mim, escondeu todo sentimento em ironia e sarcasmo, mas me mostrou um bom coração e um bom amigo.

O livro fala sobre uma história na qual Hazel gosta muito, o Uma Aflição Imperial, uma pena que ele termina no meio de uma frase da personagem. Isso faz que a garota insistentemente queira saber o final do livro. Junto com Gus, eles vão até Amsterdã, onde mora o autor Peter Van Houten, em busca de respostas. 

Em Amsterdã, os dois passam por momentos bonitos, tristes, delicados, emocionantes, e foi onde eu mais coloquei post-it hahahaha. Ainda lá, eles se conhecem mais do que nunca. Eles não conseguem respostas para o final do livro, mas conseguem respostas sobre si mesmo. 

No final das contas, nós não somos donos da nossa vida. Não sabemos nada sobre o amanhã. Hazel e Gus se apaixonaram, se entregaram, se emocionaram e viveram. O livro rende bons momentos de reflexão e compaixão. 



domingo, 5 de abril de 2015

Resenha | Ela foi até o fim - Meg Cabot

Ela foi até o fim
SINOPSE: Lou Calabrese é uma roteirista de sucesso - já escreveu vários roteiros de ação que renderam milhares de dólares de bilheteria e até ganhou um Oscar! O problema é que seu namorado, o grande astro do filme, resolveu deixa-la pela estrela principal, e agora lhe resta provar que conseguirá passar por tudo para esquecê-lo.O que ela não esperava é que esse "tudo" significasse atentados contra a sua vida e sobreviver numa montanha congelada com o homem que mais odeia na face da Terra como único companheiro... Será que ela vai sobreviver a está aventura? E será que, no final, encontrará o verdadeiro amor?




A sinopse já entrega um pouco sobre a história, é um pouco clichê, mas eu amo e é a Meg Cabot, então eu sei que vale a pena!

Superar um relacionamento nem sempre é fácil. E aconteceu isso com Lou Calabrese, seu namorado astro do filme no qual ela é roteirista a trocou pela estrela do filme. Se já é chato um rompimento discreto, imagina para a mídia? E quando o ex anuncia que vai casar? Mas a vida precisa continuar. Lou decide superar tudo isso e vai se aventurar em mais um trabalho. Dessa vez, ela é a roteirista de um filme que será filmado no Alasca. E Lou vai para o local das filmagens. Lá, ela se encontra com o último ator que ela gostaria de ver – Jack Townsend. O ator principal do filme. E só para contrariar, os dois não se dão nada bem.



Se não bastasse essa convivência, a caminho do set, Lou e Jack pegam o mesmo helicóptero e são surpreendidos por uma tentativa de assassinato contra Jack. Porém o helicóptero cai no meio de uma floresta no Alasca e aí acontece uma coisa atrás da outra, vários atentados contra os dois e perseguições floresta adentro. Lou e Jack, juntos, precisam lidar com isso e de alguma forma lidar com suas diferenças também.

"Ela foi até o fim" faz parte do gênero chick-lit acompanhado de um leve mistério. Porém não é necessário a solução de um quebra-cabeça e a presença de pistas para descobri-lo ou chegar a ao suspeito, ele só está presente para dar rumo a história. Nada muito misterioso nem chocante. Não é surpresa que existe um romance entre Lou e Jack. Geralmente essa é a parte clichê. A gente já sabe, imagina, porém torce para que isso de fato ocorra. Eu gostei de como os dois começaram a se envolver, é como dizem... "Do ódio ao amor é só um passo".




Esse livro da Meg, é o mais adulto que já li. Contem um romance mais maduro com diálogos mais sérios também. Mas, o charme do chick-lit é também a comédia, e sendo a Meg Cabot, não poderia estar de fora, dá para se divertir bastante com a dupla.

No geral, possui uma boa história, personagens divertidos, tem um quê de ação e o mais importante: envolvimento com o leitor. Por vários momentos me encontrei torcendo pela Lou e o Jack (em vários sentidos). Quando peguei para ler, logo me vi já no meio dele. Fora que as folhas do livro são amareladas e o espaçamento ótimo, 399 páginas que passam super rápido.

Não é nenhum livro que vai fazer a diferença em sua vida, mas vale pela diversão. Meg Cabot tem essa capacidade maravilhosa de entreter seus leitores.

______________________________________________________________________________________________

"No final das contas, não era sempre assim? Um cara podia estar faminto no meio de uma nevasca, com assassinos perseguindo-o e uma chance de sobrevivência perto de vinte por cento, mas sua preocupação era se uma garota gostava dele ou não". (p. 216)

“Ela ia aceitar o risco e, uma vez na vida, viveria como seus personagens: ia arriscar tudo pela felicidade, ia apostar no amor”. (p. 355)

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Quando a gente gosta de uma coisa...

Olha, não tem jeito... Eu tentei me segurar, mas não consegui. Criei um instagram para poder falar das minhas leituras. Até ai tudo bem. Só que a inconformada aqui precisou fazer um blog. A verdade é que eu que eu já tive um mas deixei por lá, por motivos de : FACULDADE. Então cá estou eu de novo. Começando do zero, bom... Mais um menos do zero, pois tem o instagram. 

O fato é que aqui eu vou poder fazer resenhas mais longas e postar as sinopses dos livros. O IG não me permitia esse luxo. Mas vou continuar com postagens DIÁRIAS (ou quase) lá.

Com relação ao blog antigo, alguns textos/ideias vou pegar de lá. Então para ficar bem claro, sempre que isso acontecer, vai vir uma frase avisando.

Então é isso. Quando a gente gosta de uma coisa... A GENTE VAI LÁ E FAZ, né? Eu espero que vocês gostem <3

Se você me conheceu lá do instagram @umamordelivro me segue aqui no blog. Se você está me conhecendo aqui, me segue no instagram.

BEIJOS
Tamyres.